Conceitos básicos de Automação de Processos: As diferenças entre BPM, BPA, e RPA

quarta-feira, 24 de julho de 2019 Por Felipe Barbosa Miléo Em Nintex,RPA,Automação de Processos,BPA,BPM,Workflow

Posso lhe garantir que BPA, BPM, e RPA são mais do que acrônimos da moda. Gestão de Processos de Negócios ou na sigla em inglês BPM (Business Process Management), Automação de Processos de Negócios ou BPA (Business Process Automation), e Automação de Processos Robótica com o acrônimo RPA (Robotic Process Automation) são métodos que os negócios estão buscando para otimizar seus processos  e se tornarem mais eficientes em seus negócios.

Cada uma destas siglas ou acrônimos se referem à capacidade de como as organizações aperfeiçoam seus processos,  aproveitando as tecnologias mais modernas para reduzir o tempo que seus colaboradores dispendem em seu dia a dia de trabalho em tarefas repetitivas. Naturalmente, elas (as siglas) se referem a partes ligeiramente diferentes de uma disciplina mais abrangente que tornam as tarefas corriqueiras diárias o mais eficientes possíveis.

Nesta post, eu explico a diferença entre cada tipo de ferramenta de processos e como elas podem ser utilizadas em sua organização.

BPA - Automação de Processos de Negócios

O BPA se refere a qualquer método que os negócios utilizam para agilizar seus processos através da automação. Isto pode ser obtido através de uma variedade de diferentes aplicações e ferramentas que visam atingir ganhos de produtividade, agilidade, eficiência e conformidade em tarefas diários de negócios.

Toda empresa executa uma série de processos para realizar seu trabalho. Automatizá-los  permite que esses processos sejam executados de maneira profissional e sempre dentro dos prazos.

São exemplos comuns de processos que se beneficiam do BPA:

  • Entrada de novos funcionários
  • Solicitações de Férias e Licenças
  • Revisões de projetos
  • Solicitações ao RH
  • Reembolsos de despesas
  • Pedidos de novos equipamentos

A BPA utiliza a automação para reduzir o número de tarefas manuais dentro dos processos e o tempo necessário para completar estas tarefas. Podemos nos referir a estes processos mais eficientes como processos otimizados.

A automação também elimina potenciais gargalos como erros de digitação, perda de informações e atrasos através da passagem automatizada de informações ao longo do processo e delegação de tarefas também automática. Resumindo, qualquer processo que possamos acelerar usando uma ferramenta de automação de fluxos se qualifica para ser chamada de BPA.


RPA - Automação de Processos Robótica

A RPA é outro método que organizações utilizam para automatizar tarefas rotineiras. A principal diferença é que a RPA especificamente se refere ao uso das tecnologias mais recentes em robótica e inteligência artificial (IA) para realizá-las.

O exemplo mais conhecido de RPA está nos chatbots de atendimento a clientes. Atualmente, estes assistentes de atendimento a clientes impulsionados pela IA estão nas propagandas das empresas como grandes operadoras lidando com perguntas básicas de seus clientes, permitindo que dediquem seu tempo a funções mais importantes e que gerem mais valor.

BPM - Gestão de Processos de Negócios

A BPM avisa obter a máxima eficiência possível e extrair valor das atividades diárias dos negócios. Diferentemente do BPA e RPA, ela não se refere a métodos específicos, táticas ou ferramentas, ela se refere uma disciplina que existe no nível corporativo e é aplicada em uma extensa gama de procedimentos dentro da organização.

Isto envolve a busca constante de novas maneiras de mapear, mensurar e otimizar processos através do representação do fluxo do processo para análise, promovendo aperfeiçoamentos e monitorando o sucesso destes métodos aperfeiçoados.

Tanto a BPA como a RPA formam uma parte cada vez mais importante da Gestão de Processos de Negócios, uma vez que buscam tornar o processo mais rápido e mais fortemente integrado. Após o mapeamento e melhorando como o processo é executado, existem múltiplas oportunidades para automatização de determinadas tarefas dentro do fluxo de trabalho.


Como combinar BPA, BPM, e RPA em uma estratégia coesa

Definir cada uma destas três tendências pode ser difícil já que se referem a maneiras diferentes de obter a mesma coisa: melhores processos de negócio e obtenção de valor sobre seus recursos existentes.

É fundamental que as organizações adotem uma estratégia abrangente de melhoria de processos de negócios.

Quanto maior o negócio, mais importante isto se torna. Uma organização com mais colaboradores naturalmente tem processos mais complexos, com mais estágios. Cada estágio adicional pode criar gargalos e reduzir o valor que cada colaborador pode adicionar no curso de seu dia a dia.  BPM, BPA e RPA são portanto maneiras essenciais de reduzir o tempo e o valor que processos em larga escala podem desperdiçar.

Adotar uma plataforma de gerenciamento e automação de fluxos de trabalho livre de código que permita às organizações a adaptar  seus processos a suas necessidades de negócios individuais é primordial neste contexto. Com a criação de fluxos de trabalho customizados para qualquer coisa desde um onboarding de clientes até uma solicitação de manutenção de equipamento, os usuários podem se beneficiar das mais recentes tecnologias de gerenciamento e automação de processos para assegurar que as tarefas sejam automaticamente passadas de uma pessoa para a próxima.

Em resumo, somente com a utilização de tecnologias modernas que combinem os três conceitos, sem que seja necessário desenvolver código e que permitam evoluções dos processos de forma rápida e contínua as organizações podem assegurar a colaboração eficiente entre os colaboradores, promover a eficiência e monitorar o sucesso destes métodos aperfeiçoados.

O que você achou desta postagem? Deixe abaixo o seu comentário.

comentou As de